As relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos

As relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos

Os Estados Unidos e o Brasil tradicionalmente possuem fortes relações comerciais, políticas e econômicas. Os EUA foi o primeiro país a reconhecer a independência do Brasil em 1822. Como as duas maiores democracias e economias do hemisfério ocidental, os dois países tem uma parceria que está enraizada em um compromisso compartilhado para expandir o crescimento econômico, promover paz e segurança internacionais e respeito pelos direitos humanos, além de fortalecer a cooperação em defesa e segurança.

Os dois países tem mais de 20 fóruns de coordenação bilateral, incluindo o Diálogo de Parceria Global, o Diálogo Econômico-Financeiro, Diálogo Estratégico sobre Energia e Diálogo de Cooperação de Defesa. Em 2016, o Secretário de Estado, Secretário do Tesouro, Secretário da Saúde e Serviços Humanos, Administrador da Agência de Proteção Ambiente, entre outras figuras públicas norte-americanas, visitaram o Brasil para fortalecer as colaborações.

Além disso, os Estados Unidos e o Brasil tem uma longa história de aprofundamento de vínculos entre pessoas por meio de intercâmbios de educação, energia, saúde, ciência, tecnologia e inovação.

Relações Econômicas Bilaterais

As relações econômicas são significativas e crescem de forma contínua. Mecanismos que facilitam o movimento do comércio, investimento e pessoas entre Estrados Unidos e o Brasil, expandem a prosperidade em ambos os países e promovem o diálogo sobre questões-chave:

– O Diálogo Econômico-Financeiro, que promove posições comuns sobre questões políticas globais.

– A Comissão Conjunta de Relações Econômicas e Comerciais, que explora uma maior cooperação em questões econômicas e comerciais.

– O Diálogo Comercial, no qual desenvolve estratégias para eliminar impedimentos ao comércio e ao investimento.

– Fórum CEO, no qual executivos norte-americanos e brasileiros assessoram os influentes políticos sobre questões comerciais e econômicas.

– O Comitê Consultivo da Agricultura, que busca impulsionar o comércio e a cooperação agrícola.

– O Diálogo Estratégico sobre Energia, que visa fortalecer a segurança energética, criar novos empregos e indústrias, e reduzir as emissões de carbono.

O Brasil é a nona maior economia do mundo e os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil. O comércio bidirecional tem atingido níveis recordes nos últimos anos, totalizando US$ 95,4 bilhões em 2015. Os Estados Unidos tiveram um excedente comercial de US$ 23,6 bilhões com o Brasil em 2015.

As principais importações brasileiras dos Estados Unidos são aeronaves, máquinas, produtos petrolíferos, eletrônicos e instrumentos ópticos e médicos. Os Estados Unidos são o segundo maior mercado de exportação do Brasil. Os principais produtos são petróleo bruto, aeronaves, ferro, aço e máquinas. De acordo com o Departamento de Análise Econômica dos Estados Unidos, o país norte-americano investiu US$ 65,2 bilhões no Brasil a partir de 2015.

Nos últimos anos, houve um aumento no envolvimento entre EUA e Brasil em questões econômicas. Em março de 2016, o Representante Comercial dos EUA acolheu o Acordo sobre Comércio e Cooperação Econômica (ATEC), que foi realizado pela primeira vez no nível ministerial. Na sequência dessa reunião, os dois governos assinaram um novo Memorando de Cooperação sobre Desenvolvimento Bilateral de Infraestrutura para complementar e fortalecer o engajamento no âmbito da Parceria de Transportes dos Estados Unidos, Parceria de Aviação e do Diálogo Estratégico sobre Energia. Em junho de 2016, o Departamento de Comércio liderou o Diálogo Comercial dos EUA e do Brasil para expandir os laços comerciais e abordar as barreiras não tarifárias ao comércio. Em agosto de 2016, após mais de 13 anos de mercados fechados de carne bovina, os governos dos EUA e do Brasil concordaram em abrir o acesso mútuo ao mercado de carne bovina entre os dois países.

Associação Brasileira de Organizações Internacionais

O Brasil e os Estados Unidos pertencem às mesmas organizações internacionais, incluindo Nações Unidas, Organização dos Estados Americanos, Banco Interamericano de Desenvolvimento, G-20, Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial e Organização Mundial do Comércio. O Brasil tradicionalmente tem sido um líder na comunidade interamericana, além de ser membro dos grupos sub-regionais MERCOSUL e UNASUR.

Iniciativa privada atrai empresas brasileiras na costa leste dos Estados Unidos

Localizado em New Haven, estado de Connecticut, a iniciativa Hub55 oferece assistência para a instalação de empresas brasileiras nos Estados Unidos com foco nas áreas de tecnologia e inovação.

Cidade New Haven - Connecticut - Estados Unidos

Entre os principais atrativos está a proposta de subsídio a fundo perdido e estrutura de financiamento com juro de 3% anual, que dependerá do número de empregos gerados na região. O Hub55 dispõe de uma equipe para prestar apoio administrativo, estruturação de planos de negócios e networking em associações e entidades do governo local, além de escritório totalmente mobiliado. Saiba mais informações do projeto em nossa página no site.