Confira sites populares que são proibidos na China e seus concorrentes

Em abril de 1994 o governo chinês conectou, pela primeira vez, o país à internet. Desde então o governo de Pequim empenha-se em manter o controle sobre o conteúdo online acessado pela população chinesa e monitorar o comportamento virtual dos mesmos. Abaixo, apresentamos alguns dos sites mais populares que são interditados ou restritos para visitação neste país:

1 – Google:

neste caso o acesso é restrito para acessar as contas do Gmail, os serviços de busca, Google Translate e Google Earth;

2- YouTube:

O site de vídeos da Google foi interditado por completo em 2009.

3 – Facebook:

A rede não faz parte do dia a dia dos Chineses há muito tempo. Segundo o governo, a rede social é disseminadora de boatos e ideias contrárias aos interesses do povo chinês.

4 – Twitter:

Proibido desde 2009, o escritório da empresa visa abrir um escritório em Hong Kong em 2015 para tentar expandir seu mercado na Ásia. O microblog mais popular no país se chama Weibo e tem mais de 500 milhões de usuários.

5- Wikipedia:

a enciclopédia coletiva é censurada em alguns termos como, por exemplo, “Dalai Lama”; “Democracia”; etc.

6- LinkedIn:

A rede que conecta profissionais foi lançada em fevereiro de 2015 e assim como o Wikipedia, a rede social não foi completamente interditada no país. Todavia, seu conteúdo é duramente inspecionado pelos censores chineses.

7- Dropbox:

O acesso ao famoso serviço de armazenamento em nuvem foi cortado por completo em junho de 2014. Porém, o gigante chinês de serviços cloud, Baidu oferece serviços similares de armazenamento e sincronização de dados no país.