Mercado de TI peruano cresce 17% e atrai empresas estrangeiras




      

Crescimento econômico favorável, contínuo apoio governamental ao setor e tendências na indústria devem estimular o crescimento do mercado de Ti peruano, que vem crescendo 17% ao ano. A relativa imaturidade do mercado peruano, com baixa penetração de soluções no mercado corporativo, deve garantir um crescimento robusto no mercado de TI e atrair mais investimentos externos, inclusive provenientes do Brasil.

Com 28 milhões de habitantes, a economia do Peru tem experimentado um crescimento significativo nos últimos 15 anos e atraído investimentos estrangeiros de países como Brasil, Estados Unidos e China. O Peru cresceu 2.35% em 2014 e, em abril deste ano, a economia voltou a crescer 4%, índice que deve se manter durante todo o ano.

Há anos grandes empresas brasileiras exploram o mercado peruano, principalmente nos segmentos de construção civil e mineração. Odebrecht, Votorantim e Vale são nomes conhecidos entre os peruanos. Em 2010, o investimento direto do Brasil no Peru foi de US$ 1,014 bilhão, quase o triplo de 2008, quando ficou em US$ 492 milhões. A Câmara de Comércio Peru-Brasil (Capebras) estima que ele deve chegar a US$ 32 bilhões até 2016.

O mercado de tecnologia da informação no Peru, apesar de sofrer com índice de pirataria de 67% e uso não licenciado de softwares, registrou vendas de 160 milhões de dólares em 2014. A taxa de crescimento médio do mercado de TI é de 17% ao ano e o volume de investimentos privados e públicos é o mais alto se comparado com países vizinhos como Colômbia, México, Argentina e Chile. Hoje cerca de 7 mil pessoas são empregadas na indústria de software peruana e existem pouco mais de 300 empresas formais, 85% delas de porte micro e pequenas.

Para os empresários brasileiros, interessados em ingressar no mercado peruano de TI, a Feria Internacional de Tecnología, Informática y Comunicaciones (ExpoTIC 2015) pode ser uma porta de entrada. A ExpoTIC 2015, que acontece em novembro na capital peruana, Lima, é o maior evento de tecnologia do país e reúne expositores locais e internacionais, além de milhares de visitantes. Participar de feiras e eventos internacionais é um dos métodos utilizados pelas empresas brasileiras para identificar oportunidades no mercado internacional, conforme aponta o estudo Internacionalização das Empresas Brasileiras, promovido pela SOBEET. Outros métodos mencionados no estudo, empregados à medida que o desejo de permanência no mercado externo e o grau de comprometimento aumentam, são: contratação de serviços de assessoria e consultoria; utilização de agentes comerciais ou importadores estabelecidos; interação com cliente externo; estabelecimento de escritório comercial próprio; compra de empresa no exterior.

Fonte: Estudio de Mercado Servicio Industria del Software em Perú – ProChile


Nossas empresas



  • Maurício Costa

  • Jean Pierre Filion

  • Nena Lentini

  • Jason Giulietti

  • Reno de Brito Pereira

  • Luiz Tanaka

  • José Lima




Notícias

Newsletter

Adicione o seu e-mail e receba as nossas novidades